MENU
telerradiologia

2º Encontro do Projeto de Telerradiologia do Hospital Santa Cruz promoveu troca de conhecimentos entre médicos

O 2ºEncontro do Projeto de Telerradiologia do Hospital Santa Cruz (HSC), promovido com o apoio da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) e da Fujifilm, que disponibiliza a tecnologia Synapse PACS para conexão em tempo real, foi um sucesso. No último dia 4 de agosto, superintendentes, diretores técnicos, neurorradiologistas, neurocirurgiões, radiologistas e profissionais da hemodinâmica do Hospital Santa Cruz, Hospital Universitário da USP e Hospital Amazônia, participaram da conferência online, que permitiu a análise de seis ocorrências neurológicas. O próximo encontro está agendado para o dia 1º de setembro e, ainda este ano, está prevista a integração de outras instituições.

Os casos ilustrados nesta segunda edição, com imagens médicas digitais, puderam ser visualizados por meio de uma rede integrada. Os médicos avaliaram os exames dos pacientes sempre com uma troca positiva de conhecimentos entre o diagnóstico inicial e a resolução de cada situação.

“Esta segunda edição do evento possibilitou uma rica troca de experiências entre os médicos presentes, ampliando o conhecimento e melhorando a capacidade diagnóstica, além de conferir mais um passo para a otimização do atendimento médico-hospitalar brasileiro”, diz Dr. JulioYamano, diretor técnico do Hospital Santa Cruz e coordenador do projeto, ressaltando o crescimento de 50% na participação dos profissionais. “A cada evento, que acontecerá mensalmente, há uma tendência da presença crescente de médicos, tanto do HSC quanto de outras instituições”, destaca.

Entre os casos apresentados estava o de uma paciente de 50 anos que se queixava de náuseas e cefaleia. Na realidade, estes sintomas eram referentes a um linfoma cerebral detectado e atualmente a paciente está em sua quarta sessão de quimioterapia. “Se não houvesse uma investigação mais apurada a doença poderia estar muito mais avançada. Por isso, a importância de levar em consideração uma dor de cabeça comum, que muitas vezes é amenizada com analgésicos”, complementa Dr. Yamano.

Outra ocorrência demonstrada foi o de uma senhora de 77 anos, que já estava com a visão comprometida, mesmo tendo realizado cirurgia de catarata. “Depois de muita investigação foi detectado um tumor do quiasma ótico, responsável pela atrofia total do olho esquerdo e uma parte do olho direito, o qual está sendo tratado. Toda vez que um paciente mostrar deficiência nos olhos de forma diferenciada, é importante uma investigação neurológica apurada”, explica o diretor-médico do HSC e coordenador do projeto.

Também foi apresentado um caso de um menino de 15 anos que tinha uma anemia falciforme e de repente começou a convulsionar. Iniciou-se uma grande investigação e foi detectado um caso neurológico isquêmico. “Independente da idade, é fundamental que a averiguação neurológica seja feita, para preservar as estruturas do sistema nervoso do paciente”, afirma Dr. Yamano.

Em futuro próximo, com a parceria já firmada entre o Hospital Santa Cruz e a Universidade de Tsukuba, além do bom relacionamento com a Universidade de Osaka, ambas do Japão, o projeto pode ganhar amplitude internacional, proporcionando o acesso à inovação na resolução de casos.

 

Autor:

Publicado em: 11 de agosto de 2017

Categoria: Eventos, Notícias

Acessos: 101

Deixe uma resposta