MENU

Família Sano comemora centenário hasteando “nobori hata” com brasão, em Osasco

A Secretaria da Cultura da Prefeitura de Osasco, pretendendo estimular seus munícipes ao sentimento cívico, patriótico, mas também em relação à própria história e cultura da cidade, criou o Programa Nossa História que se trata de um ritual formal de hasteamento de bandeiras, sempre, com uma motivação local. A solenidade é semanal e ocorre todas as quartas-feiras, no Dispositivo do Osasco Plaza Shopping (Calçadão da Antônio Agú). São cinco bandeiras, sendo que as do Brasil, Estado de São Paulo e município de Osasco são sempre presentes e, outras duas, uma da motivação e uma representativa dessa ação ou, na falta, do próprio Shopping, incentivador do programa.

Na do dia 19 de dezembro, a motivação foi o centenário de imigração da família SANO ao Brasil, de um antigo munícipe, Plínio Sano, que com os pais se mudou para Osasco em 1956 onde mora até hoje. Quase 63 anos! Mas não apenas por isso. A razão tem a ver também com… “os benefícios que essa família, de origem japonesa, realizou em prol da cidade, do estado e do país por cultivarem ao máximo a educação, o respeito e o cumprimento dos deveres, servindo como exemplo e referência”, justificou Sebastião Bognar, Secretário da Cultura. “Pela luta incansável de seus antepassados que chegaram aqui sem o conhecimento da língua, com diferenças culturais e estranhamento da alimentação, e que foram superando as adversidades para chegarem onde chegaram”, concluiu.

¤  ¤  ¤

A família em questão é a de Tsuneichi Sano que, com a esposa Chiyo, quatro filhos pequenos (Tsuneshi, 7; Tsuneo, 5; Tsunehiro, 3; Tamao, 1) e um irmão, Yoshimi, de 15 anos, vindos do Japão a bordo do navio Wakasa Maru, desembarcaram no porto de Santos no dia 17 de julho de 1918. Plínio é o primogênito de Tsunehiro.
Sua família pode ser considerada típica como de imigrantes japoneses vindo ao Brasil visto que, 1. veio atraída pela propaganda enganosa do governo japonês, das “árvores dos frutos de ouro” (pés de café); 2. como para obter autorização para imigração ao Brasil a família teria de ter, obrigatoriamente, três pessoas em condições de trabalho (acima de 12 anos), para esse atendimento, Tsuneichi trouxe o irmão caçula, Yoshimi, de 15; 3. Como quase ao fim da viagem a bebê Tamao de um ano veio a falecer, tiveram de escondê-la nessa condição a fim de evitar que a jogassem ao mar como era norma às pessoas falecidas a bordo do navio; 4. do porto, foram trazidos à Hospedaria dos Imigrantes (atual Museu da Imigração) antes do destino final a alguma fazenda; 5. passaram por sérias adversidades, desde o falecimento precoce do patriarca Tsuneichi (4 anos após), tendo Yoshimi, com 19 anos, de assumir a responsabilidade pela cunhada e, agora, seis sobrinhos; 6. como também perderam suas moradas, duas vezes devido a incêndios, até se superarem e formarem 95% dos netos e bisnetos nas faculdades.

¤  ¤  ¤

Como a solenidade ocorre às quartas-feiras e em pleno horário de trabalho, até por isso, os descendentes que puderam comparecer foram os dos filhos mais velhos do patrono (Jorge Sano, de Tsuneshi; Hatsue Sano, de Tsuneo; e, Plínio Sano de Tsunehiro), além do primogênito do irmão Yoshimi, Mário Sano, com irmãos e netos respectivos. Apesar de apenas a família de Plínio morar em Osasco, pode-se considerar como ótimo o número de descendentes presentes.

Como amigos e pessoas ilustres (Takashi Shimokawa, presidente da Associação Mie Kenjin, pela relação de cidades irmãs entre Tsu, capital de Mie e Osasco e Akira Kawaii, presidente da Associação Akita Kenjin, sendo Kawaii munícipe de Osasco) também vieram prestigiar a solenidade, foram convidados a participar do próprio hasteamento.

Dentro da formalidade, após o hasteamento, o poeta local Luiz Tamborilando, declamou poesia de sua autoria em homenagem à comunidade japonesa; seguido do escritor e jornalista Silvio Sano, filho de Tsuneshi, que discorreu sobre a história da família; e de Simone Sayuri Sano Santos, empresária, neta de Tsunehiro e filha de Plínio, que fez o agradecimento formal à Secretaria da Cultura, na pessoa do secretário Sebastião Bognar, pela homenagem e o estendendo ao prefeito, Rogério Lins, encerrando assim solenidade.

Reencontros entre irmãos e primos

Preliminares, com o secretário Sebastião Bognar, explicando todas as formalidades passo a passo

Jorge Sano, filho de Tsuneshi, porta a bandeira do Brasil, acompanhado da esposa, Marina; filha Carla e netos

Hatsue Sano, filha de Tsuneo porta a bandeira do Japão, acompanhadas das primas e filhas de Tsuneshi, Yone, Yuri e Midori

Takashi Shimokawa, presidente da Associação Mie porta a bandeira do Estado de São Paulo ao lado de Sueli Fujisaka e Fumika Nakashima, 87 anos

Plínio Sano, filho de Tsunehiro e morador de Osasco, porta a bandeira de Osasco ao lado da esposa, Rosa, filhos e netos; mais Cristina Maia, amiga da família

Mário Sano, filho de Yoshimi, porta a bandeira com o brasão Sano, ao lado de Masako Matsubara, amiga da família; Kazue e Tomie, filhas de Tsunehiro; mais Silvio, filho de Tsuneshi

Famílias postadas diante dos mastros prontas aos hasteamento, com o secretário da Cultura de Osasco, Sebastião Bognar observando a solenidade na foto abaixo, à direita

Jorge, de Tsuneshi, hasteia a do Brasil

Hatsue, de Tsuneo, hasteia a do Japão

Takashi Shimokawa, de Mie, hasteia a do Estado de São Paulo

Plínio, de Tsunehiro e de Osasco, hasteia a de Osasco

Mário, de Yoshimi, hasteia a do brasão Sano

Hasteamento sendo feito

Hasteadas

Assistindo à apresentação do poeta local, Luiz Tamborilando

Silvio Sano, filho de Tsuneshi, discorrendo sobre a história da família

Simone Sayuri, filha de Plínio, agradecendo à Secretaria da Cultura de Osasco pela homenagem à família Sano

Confraternização após a solenidade

Flagrante com Akira Kawaii que chegou logo após a solenidade ter sido encerrada

As bandeiras ao vento, diante da paisagem local.

Certidão de Desembarque fornecido pelo Museu da Imigração da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, mais a foto (a menorzinha) que estava afixada no passaporte para virem ao Brasil.

(texto e fotos de Silvio Sano, exceto a de destaque, de Ismael Francisco da Secretaria da Cultura de Osasco)

Autor:

Publicado em: 23 de dezembro de 2018

Categoria: Cultura, Eventos, Histórico, Notícias, Notícias da Comunidade

Acessos: 473

Deixe uma resposta