MENU

I FIB ABC-2019 quer nikkei… cidadão e transformando as associações

A conscientização do como transformar as associações da comunidade da região foi o que a comissão organizadora já pôde incutir aos seus nikkeis, enquanto cidadãos, presentes nesse 1º Fórum de Integração Bunkyo do ABC 2019, idealizado pelo Rengo Kai SBC, realizado na Associação Recreativa da Vila Paulicéia (ACREPA), em São Bernardo do Campo, no dia 4 de agosto passado.

A ideia inicial era um FIB SBC, mas antevendo público não suficiente somado à nossa boa relação com os vizinhos resolvemos ser mais abrangente para estendê-la a todo ABC”, revelou Kunime Iwamoto, presidente da Rengo Kai SBC (Bunka SBC, ACREPA, Rudge Ramos e Mizuho). “Daí, conseguimos envolver Santo André, São Caetano, Ribeirão Pires e, já ao próximo, também Diadema. Com a orientação do Fernando Matsumoto, que nos deu a palestra motivacional, definimos o tema, Jun Ochiai como líder da comissão, e outros jovens mais para funções de tesoureiro, divulgação, infra, etc.”, complementou.

Pela satisfação geral ao final do mesmo, pode-se afirmar que o objetivo, baseado no lema definido, “Cidadão Nikkei, transformando associações”, foi alcançado. “Quero agradecer a todos, principalmente pela participação plena nas oficinas até o final do dia, bem como à nossa extraordinária comissão organizadora, com todos dando tudo de si desde quando cogitamos realizá-lo ”, muito emocionado, assim, Jun Ochiai, encerrou o evento.

Nem fomos ao Brasileirão de Karaokê em Curitiba, devido ao fórum”, contou Adriana Saito, principal incentivadora à realização do mesmo, cujas três filhas, além dela própria, estavam classificadas para aquele concurso. “Com o ímpeto e colaboração de todos esses jovens, desde a primeira reunião já tinha a certeza de que o fórum sairia”, emendou, igualmente emocionada pelo resultado obtido.

Palavras de encerramento dos que compuseram o tripé do I FIB ABC 2019: Alexandre Jun Ochiai, Adriana Saito e Kunime Iwamoto

O fórum

Muito bem organizado, desde a recepção dos participantes, café da manhã, dinâmicas, palestras, painéis, etc., até o final, justificou plenamente o encerramento dentro do programado.

Recepção dos convidados, com preenchimento de fichas e recebimento de pulseirinhas coloridas

Café da manhã, descontraído

À Abertura Oficial, estiveram presentes as principais autoridades nipo-brasileiras e políticos locais, mais Roberto Yoshihiro Nishio, presidente da Fundação Kunito Miyasaka, representando o Bunkyô-SP, e Orídio Shimizu, ao ver. Aurélio Nomura.

Abertura Oficial, com a presença de autoridades locais e de fora do ABC

Abertura Oficial: 1. Alexandre Jun Ochiai, abrindo e saudando o público; 2. Kunime Iwamoto, presid. Rengo Kai SBC; 3. Roberto Y.Nishio (Fund Kunito Miyasaka), repres. Bunkyô-SP; 4. Hiroyuki Minami, Secretário Pref. Mun. S. Bernardo do Campo

Logo após, como forma de se “quebrar o gelo”, foi realizada a Dinâmica Inicial pela brincadeira da troca de crachás, com recolhimento e redistribuição aleatória das mesmas para que cada um ficasse ao lado de “si mesmo”.

Dinâmica Inicial – para quebrar o gelo.

A seguir, palestra motivacional de Fernando Matsumoto, instigando o nikkei à tomada de atitude como busca do objeto do desejo e que há que se gostar do que faz para agilizar e tornar mais prazerosa suas conquistas; depois, a de Silvio Sano, com Konfrontos & Konflitos Nikkeis que, conforme título, abordou sobre introspecção, timidez e não demonstração de indignação, inerentes no nikkei, além de clamar já ter passado a hora de o nikkei romper a casca  do ovo e “mostrar sua cara”, verdadeiramente.

Palestrantes do dia: 1. Fernando Matsumoto, palestra motivacional; 2. Silvio Sano, Konfrontos & Konflitos Nikkeis; 3. Yasushi Noguchi, cônsul japonês, panorama geral Japão/Brasil

Depois, o grupo A Patota, fechou a primeira parte do fórum encenando A Jornada de Tarô, um peixinho em busca da felicidade que sempre esteve a seu alcance. Um momento para reflexão que emocionou alguns presentes.

Grupo Patota, formado pai e filha, Enzo Labronici e Priscila Labronici

Ao almoço, os assentos às mesas só poderiam ser ocupados de acordo com a cor da pulseirinha que cada um recebera na recepção, ao chegar ao evento, como parte da integração aos participantes, bem como à já formação dos respectivos grupos às atividades por vir.

Em sua vez como palestrante, o cônsul japonês, Yasushi Noguchi, discorreu sobre o Japão atual, com ênfase à nova era imperial Reiwa, expectativa em relação às Olimpíadas e fechamento dos recentes acordos entre os governos do Japão e Brasil, finalizando com votos de sucesso ao fórum em questão.

Público presente

Prosseguindo, nova dinâmica por um exercício interessante para realização de trabalho em equipe e sincronizado (levar bolinha de ping-pong em canaletas de pvc até um alvo); depois, painel do professor de shodô, Shozo Honda, sobre a história e desenvolvimento da escrita japonesa; encenação de uma situação atual nos kaikans para justificar a escolha do lema, que gerou grande e polêmico debate; e, por fim, o testemunho do jovem, Henrique Fukai, do taikô, por sua satisfação em frequentar seu kaikan. “Não consigo mais me ver sem estar lá todos os finais de semanas”, afirmou.

Painel do professor de Shodô, Shozo Honda, sobre a história e evolução dos caracteres japoneses, oriundos dos chineses.

Encenação de uma situação que, comumente ocorre em kaikans, e deu origem ao lema do fórum. Gerou debate polêmico.

1. Henrique Fukai, do taikô SBC, dá seu testemunho positivo do ambiente de seu kaikan; 2. Caio Ito, realiza brainstorming para captar as sugestões à transformação dos kaikans.

Conclusão

Para finalizar, brainstorming por Caio Ito, visando a conclusão plena aos objetivos buscados pelo fórum a partir das questões: 1. Como seu grupo imagina a associação que irá atender o nikkei do futuro?; e, 2. O que a associação do futuro deverá fazer para atender o nikkei do futuro?

A participação foi intensa e atenta com todos querendo contribuir com sugestões.

À primeira questão, renovação, interação entre antigos e novo, integração com outras associações, acessível a novos membros, receptiva às outras descendências étnicas, inclusive à preocupação com sustentabilidade e até à quebra de feudos, etc.

À segunda, eventos abertos focados em problemas locais, ao público em geral, com festas, palestras e workshops; preparo das próximas gerações; participações em eventos não nikkeis, assim como apresentações em escolas de bairros, criação intermitente de novas lideranças; inclusão tecnológica; local físico condizente e, finalmente, interação entre kaikans.

Como tínhamos, também no nosso, coordenadores do FIB Bunkyô-SP, cuja 11ª edição ocorrerá nos dias 5 e 6 de outubro, já estão de posse desses dados”, revelou Ochiai, à reportagem.

Alexandre Jun Ochiai, líder da Comissão Organizadora do I FIB ABC 2019

 

Deixe uma resposta