MENU

Na meditação aprendi a me ouvir de verdade

Pouca gente conhece Cláudia Dias Batista de Souza, uma paulistana de 72 anos. Mas a Monja Coen, nome que assumiu no budismo, é uma figura midiática. Presente na tevê e autora de uma série de livros sobre meditação e autoconhecimento, ela fez revelações sofridas à IstoÉ sobre os assédios sexuais e o brutal estupro que sofreu enquanto estudava em mosteiro zen-budista, no Japão, nos anos 1980. E, pior, o agressor era o homem com quem viria a se casar logo depois, em um momento de extrema solidão e fragilidade…

 

 

 

 

Saiba mais

Fonte: istoe.com.br

Deixe uma resposta