MENU

Exposição MUJI Pop-up Store

Nascido no Japão em 1931, Toyota chegou ao Brasil no fim da década de 1950 e naturalizou-se brasileiro em 1971. Ao sair da tela para a tridimensão, após uma temporada na Itália, o artista instaurou o espectador como cocriador – caminho que mantém até hoje. Com curadoria de Denise Mattar, a exposição TOYOTA – O Ritmo do espaço resgata essa faceta do artista e estabelece seu percurso criativo destacando a coerência do seu trabalho.

 

“Durante todos esses anos criei milhares de obras entre desenhos, gravuras, pinturas de diferentes técnicas, instalações, painéis escultóricos e esculturas de todos os tamanhos de pequenos múltiplos a imensos monumentos. Apesar de trabalhar com tantas técnicas sempre fui fiel as mesmas indagações que me fizeram mergulhar neste universo das artes, quando jovem pintava sob influencia dos mestres impressionistas, na universidade através da arte tradicional japonesa o urushi (laca chinesa) e sob a orientação do professor Yasui Sōtarō (1888-1955), que criou uma pintura japonesa com influencia impressionista e depois trabalhando com cenografia no Teatro Kabuki e nas pesquisas do Instituto de Shizuoka sempre mantive no meu interior o que o famoso historiador e critico japonês Atsuo Imaizumi havia dito aos 15 anos quando recebi o primeiro prêmio de pintura no Salão de jovens artistas ainda em Yamagata; ‘mantenha sempre as mesmas ideias e perguntas interiores assim encontrará sua verdadeira arte e produzirá obras verdadeiramente suas, obras originais’. Busquei na cultura ocidental através da física quântica o significado de Espaço, e através da minha origem oriental o significado íntimo de algo espiritualmente superior. Talvez seja essa a conexão entre o Homem e o Universo”, explica Yutaka Toyota.

A curadora Denise Mattar destaca o pioneirismo do artista: “Yutaka Toyota faz parte do grupo de artistas que, na década de 1960, decretou o fim da pintura de cavalete e da escultura figurativa, convidando o público a participar de novas experiências estéticas, interativas e sensoriais. Sua obra convoca dualidades: positivo-negativo, visível-invisível, sólido-evanescente, volume-leveza. As múltiplas possibilidades do reflexo são a matéria prima da qual Toyota se utiliza para ‘compreender o significado do espaço’, e, nessa opção podemos apontar um expressivo parentesco da obra de Toyota com a de Anish Kapoor, não por acaso, também um oriental-ocidental.”

Na exposição a curadoria privilegia a produção escultórica de Toyota estabelecendo seu percurso e as principais questões que permeiam sua obra, sem se ater a uma montagem cronológica.

A escolha do Museu de Arte Brasileira da FAAP para a apresentação da mostra em São Paulo reflete uma antiga parceria de Toyota com a instituição que tem em seu campus algumas obras monumentais do artista, integradas ao dia a dia dos alunos. Coincidentemente a mostra chega à cidade, em junho, mês da comemoração dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil.

Exposição TOYOTA – O Ritmo do espaço

Quando: de 23 de junho a 02 de setembro de 2018
Horário: Segundas, quartas, quintas e sextas: das 10h às 19h – última entrada às 18h. Sábados, domingos e feriados: das 10h às 18h – última entrada às 17h
Onde: Museu de Arte Brasileira da FAAP
Endereço: R. Alagoas, 903 – Higienópolis, São Paulo – SP
Quanto: entrada gratuita
Mais informações: www.yutakatoyota.com

 

Leia mais

 

Fonte: madeinjapan.co.jp

Deixe um comentário